Há uma questão básica que vem antes mesmo de qualquer decisão sobre ferramentas ou plataformas digitais:

Ainda existem questionamentos se realmente há retorno no ‘‘gasto’’ para estar presente na Internet.

Essa dúvida é recorrente quando se leva em conta certos tipos de segmento de negócio, o tamanho da empresa ou o nível de desejo do empreendedor de expandir sua marca.

Sim, há empreendedores, visto que todos precisam pensar em custos e resultados, que ainda hesitam sobre a real necessidade de investimento na Internet, levando em conta as circunstâncias de seus negócios

Para iniciar a conversa, vamos imaginar um passado não muito distante: uma pessoa andando num bairro que não conhece e quer tomar um café.

Certamente imaginamos a pessoa procurando um cafeteria, uma lanchonete, olhando os comércios ao redor ou perguntando a alguém, que lhe daria uma dica e a orientaria como chegar ao local.

Hoje em dia, nosso exercício de imaginação é completamente diferente: na mesma circunstância, nossa personagem está com seu celular, onde faz uma busca para localizar os lugares mais próximos, ver o tipo de comida servida em cada um deles e até as avaliações dos usuários.

E, depois de escolher o local, vai até lá seguindo um mapa detalhado.

Essa “historinha” simples e cotidiana nos remete a essa significativa reflexão, como empreendedores: a importância da presença digital.

“Ao longo do dia, a quantidade de vezes que as pessoas mexem em seus celulares é muito maior do que pessoas vendo TV ou ouvindo o rádio.

De acordo com pesquisa feita em parceria pela Hubspot e We Are Social, mais de 139 milhões de pessoas têm contato com a internet no Brasil. Isso representa uma penetração de 66% em um país formado por mais de 210 milhões de pessoas.

Do total de pessoas que acessam a internet no Brasil, 85% fazem isso todos os dias.”*

As oportunidades estão na Internet, especialmente nas mãos dos potenciais consumidores, que passeiam pelas ‘ruas digitais’, o tempo todo.

Até mesmo para escolher uma loja física onde realizar uma compra, hoje em dia há uma pesquisa prévia online; ou seja,  podemos dizer: há uma pré-venda digital.

Não é preciso dizer muito mais, até porque já estamos todos cientes dessa realidade: estar presente no espaço digital é mais que uma escolha, é primordial para a própria existência do negócio, mesmo que só no mundo físico.

Mas, quais são as objeções mais comuns sobre essa questão?

Um negócio local que não vende pela internet

Neste caso, a presença na internet, especificamente através de um site, será um ótimo meio para atrair novos clientes e se relacionar com o público.

Tendo um site próprio o negócio (seja ele um restaurante, um escritório de engenharia, uma empresa de bolos, uma banda para festas infantis) transmite uma imagem muito mais profissional que um cartão de visitas ou somente um endereço e telefone.

A funcionalidade do site o torna o primeiro canal de contato com potenciais clientes e leva uma boa impressão.

E, se como diz o ditado, a primeira impressão é a que fica, essa primeira impressão oferecida no site é fundamental para que o visitante se torne um cliente.

Leia mais em: https://www.vgt.com.br/e-commerce-esse-novo-jeito-de-vender-e-comprar

Empresa pequena não precisa estar presente na internet

O argumento é exatamente o contrário. Para fazer a roda girar, atrair clientes, conquistar novos consumidores, a presença na internet, atualmente é fundamental.
Se o empreendedor quer crescer, ter mais ganhos, ampliar o negócio é fundamental estar presente no espaço on-line

Para alavancar um negócio pequeno, a vantagem do investimento digital é ser muito mais baixo, contínuo e com retorno maior do que o marketing tradicional, como anúncios, placas, outdoors, panfletos, etc.

Para ler mais sobre lojas virtuais acesse: https://www.vgt.com.br/marketplace-um-novo-enfoque-na-relacao-comercial

A empresa já tem uma página no Facebook, para que ter um site?

É fantástico que a empresa tenha sua página no Facebook e jamais deve ser descartada, porque é aí que a marca se relaciona diretamente com o consumidor.

Mas é importante que, além da fanpage, a marca invista em formas de presença online que possibilitem, de fato, a finalização do negócio: o site ou o e-commerce.

E para aprofundar a rede social, o Blog é o melhor meio para “alimentar” o consumidor com informações relevantes, agregando valor ao produto.

Portanto, um canal não substitui o outro. A página do Facebook será fundamental para direcionar os clientes e potenciais consumidores para o Blog, que sustentará o relacionamento e para o Site ou E-commerce para fechamento de negócios.

Para ler mais sobre este tópico acesse: https://www.vgt.com.br/as-redes-sociais-estao-desbancando-os-sites

 

fonte: https://rockcontent.com/br/blog

fonte: https://resultadosdigitais.com.br/blog

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *